A minha alegria


Minha tristeza,
eu guardo com mais cuidado
no cenho franzido.
Ou choro escondido,
porque ninguém tem nada a ver
com as minhas lágrimas.

Agora,
minha alegria,
eu deposito nos dentes,
com os lábios em regalo
apontando
(sem medo das possíveis verrugas)
a estrela que me fez sorrir hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Rafael Geremias