Derrames III



A partir do terceiro passo
já é rotina
a partir da segunda garfada 
o gosto é familiar
e o que acomete esse poema é sua ausência
misto de saudade, carência e colheres de piegas
angústia de instante 
derrame 
e no fim do quarto passo
já é tudo mentira
me contento ou me adapto:
quem ama nunca perde.

15 comentários:

  1. [e contudo ele move-se, o mundo que gira ininterruptamente em volta da palavra]

    um imenso abraço, Rafael

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. ei, gosto ler que quem ama nunca perde. me fez sentido.

    ResponderExcluir
  3. Seus post não me dão muita vontade de dizer algo novo.
    Porque eu não preciso dizer. Eu apenas sinto. Mas eu sinto mesmo.
    Sinto e o que vem é só: poxa...É verdade, lindo lindo lindo!!!


    Por que tudo que a gente escreve e que seja verdade é lindo?

    ResponderExcluir
  4. ...
    -''No fim já é tudo mentira'' por isso que nunca se perde... Brilhante colocação...

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Rafael...
    Sentimento puro...gostei!
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Leonardo,

    É só no mundo da palavra que a gente realmente existe, só existo por lá.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Resiliência,

    Quem ama nunca perde, mas a vontade de perder é imensa.

    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Tassi,

    pura verdade, nem que seja só verdade pra gente, mas já é o suficiente pra ser lindo.

    Leu minha resposta ao seu comentário no post passado?

    gata, tenho orgulho de ver gêmeas comentando meus textos.

    Beijoooooooo

    ResponderExcluir
  9. Ramon,

    No fim é tudo mentira, é tudo uma eterna ilusão.

    Já dizia Neruda, te amo e não te amo...

    ResponderExcluir
  10. Eu não acheei a resposta :(
    Beeijosmeuammado!

    ResponderExcluir
  11. "quem ama nunca perde.".. o q teclar depois dessa?... risas..

    *a imagem q acompanha o poema ficou fodástica...

    abs grande.

    ResponderExcluir
  12. Paulo,

    Quem ama nunca perde, pelo menos consegui.

    haihai

    Abraço

    ResponderExcluir

Rafael Geremias