O Mito do Amor Romântico

Perdoe-me por minha ansiedade;
por essa insegurança que perdura
no gesto em falsete ou na euforia gaga da fala.
Mas é que estou tentando conquistá-lo;
estou tentando me fazer necessário e indispensável na sua vida.
Perdoe-me, não me cansarei de pedir desculpas
mesmo que isso rutile um tanto “ultra-romantismo anacrônico”,
ainda assim, não deixarei que seu tato se recrudesça senão em minhas mãos,
pois, mesmo sem saber,
você já é meu.

Por isso me ame hoje,
ainda que doído,
ainda que estranho
ainda que impróprio,
descubra-me e depois me acoberte,
mas faça isso hoje,
agora,
neste instante, porque as
promessas para o amanhã já se fazem tardias.

12 comentários:

  1. Poxa, que texto legal, muito bem colocada as palavras em seus sentidos.
    Se foi você que o escreveu, parabéns :)
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Caraca, hein. Parabens então, bem legal xD

    ResponderExcluir
  3. simplesmente, sem comentários.

    ResponderExcluir
  4. o bom e velho amor... todo mundo em busca dele. e quando encontrar? uma nova luta: mantê-lo.

    Você é de onde?

    ResponderExcluir
  5. "Por isso me ame hoje,
    ainda que doído,
    ainda que estranho
    ainda que impróprio,
    descubra-me e depois me acoberte,
    mas faça isso hoje,
    agora,
    neste instante, porque as
    promessas para o amanhã já se fazem tardias."

    me identifico :(

    ResponderExcluir
  6. o mais bonito e clichê de todos, o amor. aah.
    Boa tarde :*

    ResponderExcluir
  7. há se todo o resto assim fosse...
    muito bom!

    ResponderExcluir
  8. retratação:
    ahhh, se todo o resto assim fosse...
    muito bom!

    ResponderExcluir
  9. Promessas para o amanha enlouquecem;
    belo texto.
    :}

    ResponderExcluir
  10. lindo rafa. tem o dom das palavras! a última parte é a melhor.
    Parabéns!

    beijos

    ResponderExcluir

Rafael Geremias