do desamor

Isso de me ater aos teus pensamentos
e ficar absorto, imerso neles,
tem me deixado neurótico

Gostava de quando você não gostava de mim
quando não se importava, não me queria,
e por qualquer motivo me descartaria

Me trocaria
me venderia
me daria a outro
porque dividia seu amor com outros

No desamor,
éramos livres
e o sexo não nos punha
encurralados
feito bichos trancafiados em suas peles aflitas por gozo;

o gozo constante e insuficiente
o gozo constante e sem saudade
a ejaculação repetida numa masturbação
a dois.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Rafael Geremias