A linguagem absoluta


Quando viro a esquina é com o coração apertado de expectativas. Expectativa de descobri-lo casualmente também virando a mesma esquina com as mesmas expectativas lhe apertando o coração. (surpresa) . Há o cumprimento, o olhar vindo cabisbaixo, o sorriso distorcido pelo escorço. Falamos de algum poeta (um poeta-arquiteto-urbanista qualquer que nos justifique a necessidade das esquinas) depois um cantor novo que você acabou de descobrir e acha mais que vital que também eu deva conhecê-lo. Depois se despede passando a mão na minha cabeça e enquanto vai se perdendo na perspectiva, falo baixinho que te amo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Rafael Geremias