A linguagem absoluta

Arrefecer a poesia
Antes que o coração
Cresça demais
E precise transportá-lo
Para o corpo de um
Elefante. 
 
...

Mas como parar de sonhar, se foras tu quem me colocou garrado num trem anacrônico que não passa mais por aqui? O que posso fazer é embotar o pensamento com trabalho, estudo, família e (deus) pílula no coração. E com voz profética anunciar nos púlpitos do mundo que não sofro mais, quando silenciosamente fica só comigo essa saudade de ti, Maquinista, guiando teu cavalo de ferro por entre as serras para chegar até mim.

Um comentário:

  1. Ouvia Kings of Convenience... Homesick ...
    "A song for
    Someone who needs somewhere
    To long for"

    Tuas palavras andam mais belas e as imagens contribuem consideravelmente... Ai ai moço, chega faz gosto de ler. Tudo lindo demais.

    Abraço,

    Juliana.

    ResponderExcluir

Rafael Geremias