Dos sentimentais desencontros ou Poemas para se quebrar a fantasia


De agora adiante
não com-partilho sonhos
por medo de me pôr
deitado exaurido
quando for sua vez
de pôr seus sonhos
sobre a minha mão
e eu lhes conferir
pernas, braços e troncos
de encorajamento.

Dos sentimentais desencontros ou Poemas para se quebrar a fantasia


Nunca fui tão atual quanto hoje.
Nunca estive tão próximo da morte.
Existe algo mais atual que a morte?
Um passo e ela nos apanha.
Um passo e ela nos resume.

Memória

LEMBRANÇA

contido em meu passado 
o que ficou fora do tempo
dos outros


ESQUECIMENTO

fora dos seus passados
o que ficou contido
no meu desejo


Dos sentimentais desencontros ou Poemas para se quebrar a fantasia


O meu ofício poético
Vingará teus mortos
Teus próximos mortos
A saudade dos teus próximos mortos
A saudade daqueles que já estão mortos
E a tua própria morte
Antes da tua própria morte
Que gira constantemente
Nas tuas faltas, excessos e meio-termos

O meu ofício poético
Guardará tua humanidade.

Exibicionismo - Derivações


Há tempo para tudo.
Tempo de ficar por mim,
Outro,
de morrer por ti.

*

Há tempo para tudo:
Tempo de bater pra mim,
Outro,
de bater pra ti.

Rafael Geremias