A linguagem absoluta | Poema Imagem - V

(...)
Enfim olhei pra cima, acima era um prédio sem fim
Impossível de reter na minha solidão
(...)
Mas
Na minha casa, na minha solidão
Maquinista,
só tua promessa como
habitante me habitou.
(...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Rafael Geremias