Para controlar o tempo

Tudo se constrói em cima do tempo,
as horas vagueiam e continuam absolutas
os carros trafegam sob claridade ou escuridão
ora sim ora não numa verdadeira matemática;
escrever é uma forma inútil de ir contra,
vencer-lhe,
só através do sono e
no entanto ele não vem.

Fosse-me concedido algo,
pediria o eterno cansaço
para dormir eternamente,
perdi o gosto pelas coisas que não são novidades
e por não tê-las,
mantenho-me  inerte.

Porque o tempo amiúde
fez que o homem percebesse que não existe
auge em nenhuma fase da vida,
a todo momento se morre, se perde,
o que estava aqui antes
o tempo deu um jeito de inibir.

*
Será preciso, para controlá-lo,
pressentir a hora exata.
O problema é que a hora exata
é também  o limite,
ou se avança ou se retrocede
e saber em qual das direções se ganha ou se perde,
ou melhor,  em qual caminho
se perderá menos
é a maior das tarefas.

*
Então,
não acredito que há um tempo certo para cada coisa
nem que estamos adiantados ou atrasados diante delas
nunca cheguei cedo ou tarde demais, também nunca
pressenti a hora exata, mas dou às costas a ele
e ajo.


Um comentário:

Rafael Geremias