A linguagem absoluta

O que faço quando tenho vontade de engolir tuas escritas Abro a goela dormito no estômago acidifico ou adoço decomponho Ou esfregá-las no corpo num gesto irreverente crente fremente e depois poente No seu ato antropofágico (livre direito) comes o meu mundo eu autofágico saliente inconstante imprudente experimento tua linguagem tassiente. 


Para Tassi

2 comentários:

  1. bonito movimento absoluto linguagem.

    e bonita a moça também.

    ResponderExcluir
  2. meu anjo, tenho vontade de que cada palavra rasgue o que tenho por dentro.
    Tenho vontade de que ela desça quadrada para eu sentir que ela existe, porque tuas palavras são mais que toque.



    Não tenho nem o que dizer disso.
    És mais que poeta.


    *não sou eu nessa foto. hahaah

    É minha amigs, eu comentei no teu blog com essa imagem.


    Afagos!

    Saudade :*

    ResponderExcluir

Rafael Geremias