A linguagem absoluta

Ai! com a palavra falada me esgarço todo. Sou tímido no m’eu te amo, no m’eu te adoro, nos m’eus te. Ai! com a palavra falada tenho gagueiras múltiplas, sou constrito, sou imperscrutável. Ai! mas com a palavra escrita sou m’eu te amo variável K, cresço, decresço, sou tua função em tua função. Invento um mundo piegas, engomo a tua cama com açúcar e pra não pisar descalço, me certifico de ter ao pé da cama meu tapete de yoga e um par de chinelos: sabe Deus o que sentirei quando você pisar e sentir frio: sabe Deus o que será de mim se a culpa ter sido minha. Mas com a palavra escrita eu retomo o discurso e floreio com gérberas e crisântemos o m’eu cuido de ti e você de mim, pois é sabido que nosso amor é concordância ideológica: tu falas, nós escrevo.

3 comentários:

  1. ...Sabe, com a palavra sou mil homens e sou mil tudo.

    Estabeleço limites quando posso e sou o infinito quando nada tenho.

    Porque com a palavra,eu também(in)ve(n)to verdades.


    * o que faço quando tenho vontade de engolir tuas escritas?

    ResponderExcluir
  2. Vou roubar as tuas palavras.
    Aguarde.

    Beijo, amor!

    ResponderExcluir

Rafael Geremias