Mais que os artrópodes


"Duro de forte, o amor feinho é magro, doido por sexo
e filhos tem os quantos haja.Tudo que não fala, faz."
(adélia prado - amor feinho)


O meu amor é macérrimo e doido por sexo.
Carrega rosário nos domingos,
nos outros dias
faz a via crucis do meu corpo.

Não entrou na minha vida
arrombando portas,
tampouco pediu permissão.
Foi enrodilhando corpo
feito minhoca

corpo e terra
corpo e terra
corpo e terra

quando se percebeu
já estava com as raízes.

3 comentários:

  1. Te rodeando chego mais perto de você sem que seja tão ofensivo...
    Te amo, meu amor feinho!

    ResponderExcluir
  2. quando percebi você já estava com as raízes.

    te amo.

    ResponderExcluir
  3. vim conhecer quem me visita em silêncio e gostei muito do que vi, adoro esse "que" irreverente.

    evoé!

    ResponderExcluir

Rafael Geremias