a idéia do nosso mundo

a idéia do nosso mundo
a idéia do nosso mundo
a idéia do nosso mundo
a idéia do nosso mundo
a idéia do nosso mundo

Este é o tempo das mentes partidas e dos corações arredios.
Das fomes insassiáveis e das sedes extintas;
é que falta água de tanto nos lavarmos.
É o tempo dos amores feridos e da ausência sem fim.
Dispomos de gatilhos,
trepamos, trepamos e continuamos trepando por trepar,
não que isso seja errado, porque também fodo por foder,
mas a manhã seguinte sempre vem impigida de uma carência maior que a anterior;
assim como se acende cigarros,
um após o outro e permanecemos com os pulmões vazios,
somos a idéia concreta da angústia,
esta sensação de ter perdido algo e nunca se saber o por quê.
Continuamos perdendo, vai-se uns parentes e outros tantos milhões de estranhos,
e graças, não precisamos nos condoer, mesmo:

o mundo já nos dói por si só.

Todavia o mundo não tem peso algum,
o que pesam são as pessoas
o que dói são as pessoas.
Criamos teorias, nos apoiamos em Drummond,
, Lindolf Bell e tantos outros,
por um instante a vida fez sentido e somos belos e sujos,
somos a contrapartida da resposta quando ansiávamos o aceite, porque queremos e queremos e já não queremos mais.
Somos temerários quando deveríamos  não nos arriscar,
covardes quando o que mais a vida pede é coragem.
Elegemos novos ídolos,
pois deus já não faz sentido,
criamos Madona, Lady Gaga, Mika, Chico Buarque, Pelés,
e lhes cobramos ritmos absurdos,
suplicamos um milagre quando a única coisa que podem fazer é afirmar nossos medos,
sem mais respostas.
Estamos perdidos no mesmo caminho,
não há nada demais na liberdade,
alcançada, a busca se intensifica.

É questão de tempo até que tudo se perca
de vez.

6 comentários:

  1. Oi Rafael,

    Cheguei aqui não sei como, mas vou ficar para te ler.
    Este texto é realidade nua e crua, sensibilidade à flor da pele!
    Muito, mas muito bom mesmo!
    Parabéns!
    Bjs
    Mari

    ResponderExcluir
  2. Visão tão nua e tão pura do mundo, ou deveria dizer das pessoas que o constituem?
    Acho que o problema mesmo é que não temos um limite, não nos satisfazemos nunca. Sempre estamos a procura de algo, sempre estamos querendo mais e mais e sempre exigimos mais do mundo, das pessoas ao nosso redor.
    No entanto, não percebemos que essa busca por algo que nos satisfaça não está ligada somente a nós mesmos, ela interfere na vida de outras pessoas e muitas vezes na estrutura [futilmente dizendo] do mundo.
    Enfim, adorei a sua descrição, tão real, porem nada pesada!
    Sempre bom passar poraqui!

    Grandes beijos

    ResponderExcluir
  3. ...ou questão de tempo pra que consigamos aceitar que tudo já está perdido há muito tempo?

    *grandes versos, cara...

    abraço grande.

    ResponderExcluir
  4. Bom post, dá que pensar :)

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Um vaziozinho exclamado por todos.
    E ninguém se cansa.

    * Tudo é dor, mesmo sendo anestesiado.

    ResponderExcluir
  6. Eisha pah mas tu escreves mesmo bem !!!

    o mundo anda assim mesmo, realmente é mesmo uma visão mt realista, causada sem duvida pelas pssoas.

    as pssoas são inconscientes, e nada as faz mudar inflizment, belo texto msmo

    ResponderExcluir

Rafael Geremias