Poema Qualquer – II

a H.
- bonito, mas tem preferências erradas.
Constrói castelos, é mais gostoso.

Uma pedra arremessada
no céu da boca
eclodiria em castelos do avesso.
Sem saber, vendaria teus olhos
e o faria subir a torre mais elevada
para como num beijo
repousar sobre minha língua.

6 comentários:

  1. a gente faria versos até passar mal. mas e se nao tem mais um motivo pra me fazer cantar de madrugada?

    just delicate

    and horribly hutful

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por linkar, vou linkar o seu também...

    Comentários, vez em quando, pois esse negócio de poesia é meio complicado pra mim. rsrsrs

    ResponderExcluir
  3. ...
    -Muito bem construído, assim com um castelo.

    ResponderExcluir
  4. A poesia vai crescendo, criando corpo e avançando por um caminho que é seu, segura, seguramente...

    A alma torturada sempre emana uma luz brilhante sobre os versos que escreve. E, às vezes, como dizia Pessoa:

    "O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente"

    Abraço

    P.S.-Respondi ao seu comentário, no meu post anterior na própria página em que comentou

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. "Escrevo porque encontro nisso um prazer que não consigo traduzir. Não sou pretensiosa. Escrevo para mim, para que eu sinta a minha alma falando e cantando, às vezes chorando."

    C.L



    ...é tão bonita essa coisa chamada poesia né? A gente tem que ir pra trás pra ir pra frente.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Rafael Geremias