Você poderia fazer alguma coisa de vez em quando

Venho por meio deste esclarecer algumas situações pendentes. Críticas e proposições seguem abaixo:

Estou exausto de tanta espera que tua boca provinciana propõe. Essa sua paciência em resolver as coisas tem nos tirado inúmeras horas de prazer. Não quero mais essa contagem regressiva que nunca chega a um ponto de transição, as fronteiras se afastam e quanto mais risco os dias no meu calendário o tempo como agente relativo me vira como a uma ampulheta e quando vejo estou de volta com os ouvidos grudados ao telefone lhe ouvindo pedidos de desculpas e cobranças de compreensão.

Entender? Entender quando não há nada a se entender, é extenuar as forças e como já citei anteriormente, estou exausto, meu corpo já sintetizou todo o estoque de carboidratos; estou na reserva e não é nessa sua permanente ociosidade que reporei o que se exauriu.

Dito isto e na espera, como de costume, de resoluções, termino este.

Eu.

12 comentários:

  1. esa espera é foida....


    belo blog

    ResponderExcluir
  2. (Obrigada, Rafael :) Já vim aqui antes, também gosto muito dos seus textos, não sei o que eu estava esperando para me aproximar... Seres humanos são mesmo assim, enfim.)

    Eu tenho percebido o mundo inteiro esperando, tudo e todos esperando, sequiosos pela salvação. A água alheia nos interessa tanto, e o alheio ou é longe ou é ocupado. Triste fado, o nosso. Bem que poderíamos fazer alguma (outra) coisa de vez em quando, rss.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, rapaz, eu não sei o que foi isso. Já tentei consertar e não consigo, digito http://www.ainfinitamentiradoser.blogspot.com e quando clicko lá vai dar em outro blog que nem existe mais. Ain ain, máquinas.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom seu texto, ainda mais hoje...

    ResponderExcluir
  5. bah..
    eu entendo muito bem esse texto.
    incertezas que nunca chegam a ser certezas, nem mesmo disfarçada ;s
    eii

    olha isso:.. acho que tem a vê com tudo que ta passando ;)
    De tudo, ficaram três coisas: a certeza de que ele estava sempre começando, a certeza de que era preciso continuar e a certeza de que seria interrompido antes de terminar. Fazer da interrupção um caminho novo. Fazer da queda um passo de dança, do medo uma escada, do sono uma ponte, da procura um encontro.

    ResponderExcluir
  6. Forte...

    Gosto do seu blog...

    Beijos !!!

    ResponderExcluir
  7. Primeira vez que ando pelos lados de cá, e preciso dizer que gostei muito. (:

    Posso continuar vindo por aqui?
    Bom dia.

    ResponderExcluir
  8. Cara...
    muito bom o seu blog... bem escrito e inteligente!
    Vou precisar de mais tempo para ler mais e com mais cuidado. Merece atenção mesmo....

    Excelente! e original... bem original...

    Marcos Lemos - http://ferramentasblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Realmente não há nada a entender...
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. mandou bem nesse texto...ja passei por situações de mesmo forma,e agora penso que talvez todo esse jogo seja a melhor parte do amor..escreve bem:}

    ResponderExcluir
  11. muito bom ;)

    eu entendo...
    ou não?
    hehehe

    beeijos

    ResponderExcluir

Rafael Geremias